quarta-feira, 22 de abril de 2015

Lutando juntos pela fé evangélica!

video

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Lágrimas de Fogo



A história de Daniel mostra a glorificação de Deus através das circunstancias difíceis na vida deste servo. Para que os milagres fossem manifestos e houvesse essa história linda era necessário que os problemas acontecessem, que existisse a cova, que as circunstancias contrárias se fizessem presentes indo contra a vida de Daniel. Deus poderia mover todas as situações difíceis da vida de Daniel e não permitir que ele passasse pela cova dos leões, mas Ele permitiu tudo isso.

Quantos de nós somos colocados à prova, no fogo, dentro de boca de leões, em situações apreensivas sem saídas (humanas), sem portas abertas (humanas), sem a cobertura e proteção social para termos uma vida saudável? Os santos no mundo são provados todos os dias com diversas provações e algumas de fogo que geram lágrimas tenebrosas. Quando estamos em Espírito e Ele está em nós, as lagrimas são como gotas aromatizadas traduzidas por gemidos inexprimíveis. Essas orações são produzidas não apenas por nós, mas intensamente por Ele, o Espírito Santo. O Espírito Santo está nos momentos mais difíceis para nos consolar e nos confortar.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Esperar



 Bíblia em Texto e Áudio          TV Presbiteriana          Programa Verdade e Vida         Blog
LEITURA BÍBLICA de terça-feira, 30 de abril de 2013
 DESTAQUE:
E eis que certo homem, chamado José, membro do Sinédrio, homem bom e justo(que não tinha concordado com o desígnio e ação dos outros), natural de Arimatéia, cidade dos judeus, e que esperava o reino de Deus”.  
(Lc. 23.51).

Este é o penúltimo capítulo de Lucas e encerra-se contando-nos sobre um homem que “esperava o reino de Deus”, José(de Arimatéia).
Isto é extremamente importante pois todo o capítulo é pontuado por tratamentos diversos para com nosso mestre:
a)     A assembleia que estava diante de Pilatos o acusava(v.2).
b)     Herodes e sua guarda o tratou com desprezo(v.11).
c)      Pilatos o entregou a vontade da assembleia, mesmo estando certo de que Jesus não era culpado de nada(v. 25).
d)     O cireneu, chamado Simão, o ajudou porque fora obrigado a fazê-lo(v. 26).
e)     As mulheres que acompanhavam a Jesus lamentando pelo que Ele passavam, não compreenderam que Ele estava sofrendo por nossos pecados. Portanto, nós que devemos chorar(v. 28).
f)       Os malfeitores(algozes, carrascos) o crucificaram(v. 33).
g)     Os líderes religiosos zombavam dele(v. 35).
h)    Um dos malfeitores que estava sendo crucificado blasfemava-o(v. 39).
Mas já no fim do capítulo o relato muda:
a)     O outro malfeitor que estava na cruz à sua direita reconheceu a santidade de Jesus(v. 41).
b)     O centurião, que comandava a operação de crucificação, o reconheceu como Justo(v. 47).
c)      As multidões lamentaram batendo no peito-sinal de arrependimento(v. 48).
d)     Os seguidores de Jesus contemplavam estas coisas como testemunhas vivas(v. 49).
e)     Um homem, membro do Sinédrio, bom e justo, não concordou com o injusto julgamento do Nosso Senhor e esperando o Reino de Deus, o tomou para sepultá-lo.

José de Arimatéia é para nós um marco de esperança. Devemos ter a mesma atitude deste homem. Quando em nossa vida, parece-nos ter falhado o plano de Deus, devemos manter-nos firmes e ESPERAR.
Pense nisto!
Tenha um bom fim de semana em nome de Jesus!
M. Ilton.
LEIA O CAPÍTULO INTEIRO: Lucas 23